14a. Convenção de Bruxas e Magos em  Maio

Convenção de Bruxas e Magos em Paranapiacaba chega a 10a. Ediação

CONVENÇÃO DE BRUXAS E MAGOS EM PARANAPIACABA CHEGA À 10ª EDIÇÃO
 Por: Caio Luiz  (caio@abcdmaior.com.br)

 

A décima edição da Convenção de Bruxas e Magos de Paranapiacaba será a maior já realizada. Foto: Divulgação
A décima edição da Convenção de Bruxas e Magos de Paranapiacaba será a maior já realizada. Foto: Divulgação
Técnicas terapêuticas e rituais com a natureza e sobrenaturais serão explorados para quebrar preconceitos 

Há uma década, o subdistrito de Paranapiacaba, pertencente a Santo André, foi sede da 1ª Convenção de Bruxas e Magos. Compareceram 15 pessoas ao evento. Anos depois, o local serviu de espaço para a 9ª edição da iniciativa e, em um final de semana, aproximadamente 10 mil pessoas circularam pela vila histórica. A perspectiva para este sábado e domingo é receber cerca de 12 mil indivíduos para palestras, pequenos cursos, danças e rituais na décima edição do encontro.

Idealizada pela bruxa Tânia Gori, a décima realização consecutiva da Convenção é a maior em proporção de público e atividades. Nesta sexta-feira (24/05), a procissão e abertura foi realizada com os participantes caminhando do breque da locomotiva até o Centro entoando cânticos em homenagem a Santa Sara, entidade do povo cigano. O tema de 2013 é As Forças Mágicas dos Povos Nômades, e a programação é extensa.

Para cada dia do fim de semana ocorrerão 150 ações que envolverão ao redor de 200 profissionais de áreas esotéricas. Entre as atividades constam palestras, salas temáticas, mesas de discussões, celebrações, danças, apresentações musicais, museu
de bruxaria, exposições de artigos e objetos, e leitura ou orientação oracular. Todas terão como centro a trajetória e influência de culturas errantes como a nórdica, a cigana, a xamânica e a egípcia, em certo período.

A coordenação busca trazer representantes de terapias e ensinos esotéricos para tratar de assuntos que derivam das linhas de bruxaria mencionadas acima, incluindo a céltica e a greco-romana. Para este ano, estão confirmadas três caravanas do Rio de Janeiro, duas de Belo Horizonte e uma de Porto de Alegre. A organização espera a vinda de pessoas de todo o Brasil e estrangeiros.

De acordo com Tânia, a iniciativa surgiu da vontade dos moradores de valorizar a Vila e da própria bruxa que em 1996 fundou a Escola Holística em Santo André (no ano de 2000 passou a ser classificada como universidade) e ministra cursos. A intenção
era provocar crescimento econômico no ponto turístico ao atrair pessoas. A geração de renda vem do movimento na área hoteleira e nos restaurantes. “Aproveitamos o clima místico e as lendas de Paranapiacaba, assim como a energia, para usar como sede da Convenção”, afirmou.

Filosofia de vida – Por mais que a definição de bruxa não seja positiva na sociedade moderna ou sofra com o ceticismo, o objetivo é exatamente desmistificar o estereótipo da mulher vestida de preto, com chapéu pontudo, que causa o mal ao lançar feitiços. Toda edição da Convenção é aberta ao público, sem restrições de qualquer tipo, e o ambiente é familiar. Conforme Tânia, a bruxaria é uma filosofia de vida que alia os elementos da natureza para buscar equilíbrio mental, físico,
emocional e espiritual.

“Depois do Império Romano, veio a Idade Média que espalhou a imagem negativa sobre bruxas”, declarou Tânia. De acordo com informações da organizadora, a bruxa é uma figura precursora do conhecimento holístico (visão e entendimento integral de acontecimentos e fenômenos) e alicerce de várias crenças que usufruem de forças da natureza.

Anteriormente, o esoterismo vivia misturado com a ciência. Por exemplo, os médicos do Egito antigo eram sacerdotes. O que o evento defende é a celebração de sobrevivências e costumes que colaboraram para a formação do mundo contemporâneo. “É a chance de entender como funcionava a ciência no passado com contextualização e fontes bibliográficas sérias que refutam mero charlatanismo ou coisas macabras.”

%d bloggers like this: